Vereador do PMDB Ijuí-RS

Um mandato peemedebista para a comunidade de Ijuí -RS

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Vereador Daniel Perondi integra comitiva para implantação de Vara Federal em Ijuí



Representando o Legislativo, o vereador Daniel Perondi integrou a comitiva de Ijuí pela implantação de uma Vara Federal no município. O grupo era composto pelo diretor do Fórum, juiz Guilherme Correa, presidente da 23ª Subseção da OAB de Ijuí, Isaura Melo de Freitas, do Conselho Estadual da OAB, Luiz Eduardo Amaro Pelizer e o prefeito de Ijuí, Fioravante Ballin. A audiência foi terça-feira em Porto Alegre.
Na oportunidade foram recebidos pelo vice-presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) 4ª região, Luiz Carlos Lugon e pelo diretor do Fórum Federal, Eduardo Picarelli. De acordo com o vereador, o grupo continuará firme na luta pela instalação de uma Vara Federal em Ijuí. Conforme o que ficou acordado na reunião, enquanto o município não for contemplado com a solicitação encaminhada, a competência do Juizado Especial Federal será ampliada.
Ainda no primeiro trimestre do ano que vem em Março o JEFA passará a receber para além dos processos da área previdenciária. A Presidente da 23ª Subseção da OAB de Ijuí Isaura Melo de Freitas classificou como singular o encontro realizado na capital gaucha. “A partir do compromisso da instalação de um juizado especial cível completo no Juizado Especial Federal Avançado (JEFA), temos a certeza do reconhecimento por parte do TRF4 do trabalho que vem sendo feito”, finalizou.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Oposição apresenta emenda à LDO

Em nome da bancada de oposição da Câmara de Vereadores, o vereador Daniel Perondi (PMDB) apresentou hoje na reunião das comissões uma emenda ao projeto de lei que dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o Exercício Financeiro de 2012. De acordo com a proposta, será retirado da previsão do orçamento do Gabinete do prefeito R$528mil, da Secretaria de governo R$288mil, da secretaria da Administração R$246mil e da secretaria de Planejamento R$100 mil.
O vereador explica que a emenda destina esses recursos para outras áreas. “A idéia é reduzir verbas de gabinete e da parte administrativa para sobrar mais recursos para investimentos em áreas prioritárias”, defende Perondi. Se aprovado o novo texto, a Educação contará com o acréscimo de R$150mil. O setor rural receberá R$200 mil, o trânsito mais R$100mil, os hospitais ganharão R$350 mil, sendo R$250mil para o Hospital de Caridade e R$100mil. A Saúde receberá R$162mil, o Esporte terá reservado R$100mil e a Habitação, R$100mil.
A bancada de oposição que articulou a emenda é formada também pela vereadora Rosane Simon (PCdoB), Gladimir Ribeiro (PSDB), Ruben Jagmin (PP) e César Busnello (PSB).

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Lei de Diretrizes Orçamentárias é apreciada na reunião das comissões

Estão sendo apreciado hoje na pauta da reunião das comissões, sob a coordenação do vereador Daniel Perondi os seguintes projetos de lei:
1. Institui gratificações para Agentes Comunitário de Saúde e Agentes de Vigilância em Saúde
2. Institui gratificação para os servidores públicos do Demei em escala de revezamento de 20% do básico de cada servidor.
3. Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o Exercício Financeiro de 2012.
4. Autoriza a concessão de uso gratuito cumulada com doação futura de imóvel à empresa I. F. Rychescki Insumos e à empresa Luciana Dias dos Santos.
6. Que Introduz Modificações no Código Tributário do Município
7. Dispõe sobre a Política Municipal de saneamento básico e o Plano Municipal de Saneamento Básico (PLAMSAB) .

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Vereador Daniel é o coordenador das comissões no mês de Outubro

Amigos, neste mês serei o coordenador das reuniões das comissões da Câmara. Na sexta, sempre definimos a pauta da votação de segunda-feira. Hoje, será votado o projeto que altera o Nível “1” de R$ 636,52 para 643,00 retroativos ao mês de setembro/2011 para o Magistério municipal. Outra matéria inclui duas entidades na composição do COMCETI, o Serviço Nacional de Aprendizagem de Transporte e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. Será votado ainda o projeto que cria o Distrito Linha 6 Norte. Por favor, quem quiser opinar sobre alguma matéria, use esse espaço. Abraços.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

PMDB de Ijuí escolhe vereador Daniel Perondi como novo presidente


Assim como 98,8% do território gaúcho, Ijuí realizou domingo o processo de escolha dos novos dirigentes do PMDB. Com o aval dos militantes, o vereador Daniel Perondi foi escolhido o novo presidente do partido. Foi eleito como 1º vice-presidente Erlon Beck, que foi presidente da sigla pelos últimos dois anos e na segunda vice-presidência ficou Edson Burmann. Será secretário-geral do partido, o ex-vereador Ricardo Adamy.
Cercado de filiados, no Diretório Municipal do partido, o vereador Daniel Perondi fez seu pronunciamento e afirmou que a sua intenção é agregar as forças do partido. “Queremos unir o PMDB, que é o maior partido do Brasil, para mostrar força nas próximas eleições e obter reconhecimento da comunidade do trabalho que o nosso partido faz e pode fazer pelo nosso município”, destacou. Ele afirmou ainda que uma frente ampla dos partidos será uma realidade, que está sendo construída com muito diálogo. “Queremos e vamos nos unir, mas nossa maior preocupação é definirmos um projeto de desenvolvimento para Ijuí. É isso que estamos buscando”, ressaltou.
Também foram escolhidos os presidentes dos núcleos de apoio e cooperação do PMDB. Fábio Trindade é o novo presidente da Juventude do PMDB. Foi escolhida Liliana Muller como primeira vice e Pablo Czyzeski como segundo vice-presidente da JPMDB. Augusto Lucchese será o secretário geral. “Sabemos a força que a juventude possui quando se mobiliza e atua. Nosso objetivo é incentivar que mais jovens façam parte da política e entrem no PMDB”, destacou Fábio Trindade.
Foi eleita a nova presidência do PMDB Mulher. Como 1ª vice-presidente foi escolhida Maria de Lourdes Floriano e na 2ª vice, Apariciane Rasia. Paula Rodrigues será a secretária-geral e Cirlei Valentini, a tesoureiro. Compõe ainda a Executiva do PMDB Mulher: Sônia Bernardi, Letícia Perondi e Vera Irgang. “Nossa meta é estimular que mais mulheres se envolvam na política. Nosso país tem uma mulher presidente, mas ao mesmo tempo estamos na 108ª posição na classificação de participação de mulheres nos parlamentos, num ranking de 186, portanto, há muito a avançar até alcançarmos um patamar de igualdade”, avaliou.
Participaram do evento diversas lideranças do partido como o deputado federal Darcísio Perondi. “PMDB sai fortalecido das Convenções Municipais e está preparado para ser protagonista nas eleições de 2012 em toda a região Planalto Médio”, destacou o deputado.
Compõe ainda a Executiva Municipal como secretária adjunta, a conselheira tutelar Vera Irgang; o tesoureiro Everaldo Silva e como vogais Janis Loureiro e Ênio Gonçalves. Foram escolhidos como membros suplentes Maria Augusta Maciel, Maria de Lourdes Saleske, Augusto Lucchese e Nicanor Bueno.
O PMDB é o segundo partido em número de filiados em Ijuí, com quase dois mil integrantes. Ele é o único que tem um representante na Câmara federal. Sua principal bandeira é a defesa da saúde e de mais recursos para o SUS. O partido defende ainda a Agricultura Familiar, Educação, Esporte e Lazer e mais investimentos em Infraestrutura Urbana. A próxima reunião da Executiva está marcada para o dia 4 de outubro, às 19h, no Diretório Municipal.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Festa pluripartidária inaugura diretório municipal do PMDB


No sábado, com a presença massiva de filiados, apoiadores e líderes de diversos partidos, o PMDB abriu as portas do seu Diretório Municipal. A sede na Bento Gonçalves com a Álvaro Chaves ficou lotada e a festa marcou o início da caminhada para a formação de uma frente de partidos que unidos vão pensar um projeto de desenvolvimento e apresentá-lo como alternativa de gestão para o município de Ijuí em 2012. O vereador Daniel Perondi do PMDB salientou em seu discurso o fato de que Ijuí está em um processo de crescimento, mas que esse desenvolvimento está desordenado. “Ijuí tem que crescer, mas com gestão de qualidade. No Legislativo, os vereadores de oposição estão unidos. Nosso objetivo é alcançarmos o desenvolvimento com gestores qualificados”, afirmou o vereador.

O presidente do PMDB de Ijuí, Erlon Beck, afirmou que a meta do partido é elaborar um projeto único, fruto de um diálogo transparente e democrático, com o objetivo de pensar alternativas para impulsionar o desenvolvimento da comunidade de Ijuí. "O grupo que vai governar Ijuí deve pensar no bem estar de todos os cidadãos e os partidos que hoje não estão na administração têm bons quadros em todos os setores e podem suprir as carências nas áreas que hoje estão devendo aos ijuienses como o setor enérgico”, acrescentou.

O presidente do PP, Roberto Peter, ressaltou que o seu partido está preocupado com o desenvolvimento do município. “Por isso estamos aqui, nos doando. Queremos que Ijuí seja novamente reconhecido como Colmeia do Trabalho. Somos soldados pelo município”, defendeu. A vereadora do PCdoB, Rosane Simon, destacou que luta por uma cidade mais feliz e que a inauguração de um espaço de debate e proposição é sempre um momento de comemoração. “Não adianta sermos pólo de saúde se a saúde básica dos trabalhadores obriga a uma espera arrastada de dias por uma consulta”, lamentou. O vice-presidente do PSB, Francisco Ribas, salientou que o PSB de Ijuí está firme na caminha pela mudança. “Queremos Ijuí forte com novo sangue, alma nova, para isso vamos agregar forças, sem pensar em vaidades pessoais e interesses próprios, mas em favor de um interesse maior, o benefício da nossa comunidade”, destacou.

A vice-presidente nacional do PMDB Mulher, Regina Perondi, explicou que o novo espaço também vai abrigar os cursos de formação política da Fundação Ulysses Guimarães (FUG). “A sede vai receber o debate dos filiados, das mulheres, da juventude sobre que partido é esse que nós queremos e como o PMDB vai colaborar para que tenhamos uma renovação na gestão municipal de Ijuí”, afirmou. Lembrou ainda que no dia 25 de setembro vai ocorrer eleição da nova Executiva do PMDB. “Quero destacar que teremos que colocar 30% de mulheres na Executiva. É lei. Faço ainda o apelo final para que as mulheres se candidatem”, defendeu Regina.

O deputado federal Darcísio Perondi afirmou em seu discurso que o diretório será um ponto de encontro que marcará a grande arrancada para ocorrer a mudança política que mais da metade da população de Ijuí quer: a mudança no Poder Municipal. “Esse projeto de renovação não é do PMDB. Estamos recebendo seis partidos para formar uma aliança. Na eleição passada, os votos das candidaturas Piaia e Marco Aurélio, que representavam a mudança, somaram 4 mil votos a mais do que a chapa do continuísmo. Agora o movimento da mudança começou cedo com o diálogo de seis partidos. Vamos fazer a convergência. O vento da mudança começou a soprar. Teremos um novo pensamento na Prefeitura de Ijuí”, comemorou Darcísio Perondi.

Também estiveram presentes na inauguração do Diretório, o presidente estadual da Juventude do PMDB, Rafael Braga; o vereador do PMDB de Dona Francisca, Beto Fantinel; o vereador do PMDB de Tupanciretã, Felipe Burtet e a presidente do PP Mulher, Julieta Sandri.



terça-feira, 23 de agosto de 2011

PMDB vai inaugurar diretório com grande mobilização

Com a presença do deputado federal Darcísio Perondi e da vice-presidente do PMDB Mulher Nacional , Regina Perondi, o PMDB de Ijuí irá inaugurar no dia 27 seu novo Diretório Municipal. O prédio na esquina das ruas Álvaro Chaves com a Bento Gonçalves será a sede do partido que reúne o 2º maior número de filiados no município.
“Somos o maior partido do Brasil em filiados, a maior bancada do Senado e a 2ª na Câmara dos Deputados e contamos com o maior número de prefeitos no país. Neste ano, o PMDB foi decisivo para a aprovação do Código Florestal na Câmara e está liderando a luta pela regulamentação da Emenda 29 e pela derrubada do veto à emenda que partilha os royalties do petróleo com todos os municípios. Temos que aproveitar esse momento, mobilizar a militância do PMDB, já visando à eleição municipal a prefeito e vereadores”, destacou o vereador do PMDB, Daniel Perondi.
No dia da inauguração, haverá mobilização dos peemedebistas para novas filiações, recadastramento dos filiados, além de pronunciamento das principais lideranças do partido. A solenidade terá início às 14h e se estenderá até as 17h. Com o novo espaço, a meta é intensificar o fortalecimento do partido atraindo novas lideranças e despertando algumas que estão adormecidas. “O PMDB é um grande partido. Foi no passado ao garantir a democracia no país e é hoje, pois continua fiel ao compromisso de garantir avanços sociais e econômicos aos brasileiros”, ressaltou o presidente do PMDB de Ijuí, Erlon Beck.
O novo Diretório será o local que vai sediar os cursos de formação da Fundação Ulysses Guimaraes. Serão oferecidos cinco cursos: Agente de Cidadania, Dicção e Oratória, Preparatório para Candidatos, Básico de Formação Política Ulysses Guimarães e para Gestores Púbicos Municipais. “Superar as barreiras para o exercício de fato da democracia só é possível com uma cidadania desenvolvida, consciente e alerta. Quando a gente estuda política, fica mais instrumentalizado. E a FUG está proporcionando isso. Não percam essa oportunidade. É um material inovador, desenvolvido com compromisso pedagógico, sem impor linhas de ação”, destacou a curadora da FUG, Regina Perondi. Em Ijuí, a primeira turma do curso Agentes de Cidadania será concluída ainda neste mês e uma nova turma de Dicção e Oratória já está prestes a iniciar. Os cursos são gratuitos e abertos à comunidade.
“Estamos convocando todos os nossos filiados para essa grande mobilização. É hora do PMDB mostrar novamente a sua força em Ijuí. Cada um dos filiados é importante nesse momento de discussão e construção de propostas, da mesma forma que estamos de portas abertas para aqueles que querem se somar e contribuir com a elaboração de um projeto alternativo, viável, ousado e competente. Tenho convicção de que podemos ser protagonistas de um novo momento na história de Ijuí”, destacou o representante de Ijuí na Câmara dos Deputados, Darcísio Perondi.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Vereador Daniel Perondi vai a Brasília pela nova divisão dos royalties do petróleo

O vereador Daniel Perondi (PMDB) fará parte da comitiva de vereadores do PMDB – liderada pelo presidente estadual, Ibsen Pinheiro, pelo secretário-geral e prefeito de Torres, João Alberto Machado, e pelo presidente da Associação de Vereadores, Ivan Trevisan – irá a Brasília no dia 24 de agosto para entregar oficialmente ao presidente nacional do partido, senador Valdir Raupp, o conjunto de moções dos parlamentares gaúchos em favor à derrubada do veto à Emenda Ibsen, que será apreciada pelo Congresso no dia 15 de setembro.



Perondi explica que todos os municípios gaúchos serão beneficiados com a emenda, inclusive Ijuí. “Nossa cidade recebe hoje por transferência dos cofres da União R$221 mil. Com a retirada do veto, passaremos a receber R$2,38 milhões, ou seja, R$2,1 milhões a mais. Esse dinheiro será útil para qualificar as escolas, comprar equipamentos para os postos de saúde, investir em tecnologia ou melhorar a infraestrutura por exemplo”, defendeu. Ele participou ontem em Porto Alegre no Plenarinho da Assembleia Legislativa de uma reunião convocada pela Executiva do PMDB/RS com os 1200 legisladores do partido para iniciar uma força tarefa pela defesa da distribuição equânime dos royalties do petróleo

Perondi acrescenta que segunda-feira irá apresentar uma moção de apoio ao movimento da derrubada do veto do presidente Lula a Emenda Ibsen na Câmara de Vereadores de Ijuí. “Se o veto for derrubado neste ano, ano que vem os recursos já chegarão a Ijuí, por isso farei o possível para que isso se torne realidade”, destacou.

O RS fatura atualmente R$ 93 milhões por ano com os royalties, mas com a Emenda Ibsen aprovada, o valor poderá chegar a R$ 1,5 bilhão por ano. A Emenda Ibsen foi aprovada na Câmara e no Senado, mas Lula vetou. O Congresso precisa derrubar o veto. O governo manobra para ganhar tempo.
A Emenda nº 387 foi aprovada na Câmara Federal ao Projeto de Lei 5.938/2009 dos ex-deputados Ibsen Pinheiro (PMDB/RS) e Humberto Souto (PPS/MG), conhecida nacionalmente como a Emenda Ibsen, a qual dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos sob o regime de partilhas de produção, em áreas do Pré-Sal e em áreas estratégicas, alterando dispositivos da Lei nº 9.487, de 06 de agosto de 1997, e dá outras providências, sendo posteriormente também aprovada no Senado, com acréscimos importantes apresentados pelo Senador Pedro Simon.


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Vereador Daniel Perondi apóia nova divisão dos royalties do petróleo

O vereador Daniel Perondi (PMDB) participa hoje em Porto Alegre , a partir das 18h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, de uma reunião convocada pela Executiva do PMDB/RS com os 1200 legisladores do partido para iniciar uma força tarefa pela defesa da distribuição equânime dos royalties do petróleo. Os governos estadual gaúcho e federal tentam evitar a todo custo a politização do debate sobre a melhor repartição dos royalties do petróleo (Emenda Ibsen), mas o PMDB do RS resolveu radicalizar a discussão.
O RS fatura atualmente R$ 93 milhões por ano com os royalties, mas com a Emenda Ibsen aprovada, o valor poderá chegar a R$ 1,5 bilhão por ano. A Emenda Ibsen foi aprovada na Câmara e no Senado, mas Lula vetou. O Congresso precisa derrubar o veto. O governo manobra para ganhar tempo.
A Emenda nº 387 foi aprovada na Câmara Federal ao Projeto de Lei 5.938/2009 dos ex-deputados Ibsen Pinheiro (PMDB/RS) e Humberto Souto (PPS/MG), conhecida nacionalmente como a Emenda Ibsen, a qual dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos sob o regime de partilhas de produção, em áreas do Pré-Sal e em áreas estratégicas, alterando dispositivos da Lei nº 9.487, de 06 de agosto de 1997, e dá outras providências, sendo posteriormente também aprovada no Senado, com acréscimos importantes apresentados pelo Senador Pedro Simon.


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Comissão do Demasi analisa contratos da Corsan

A Comissão Especial da Câmara de Vereadores, que analisa a criação do Departamento Municipal de Águas e Saneamento de Ijuí (Demasi), esteve reunida hoje para análise de contratos celebrados entre os municípios da região e a Corsan. A reunião foi coordenada pelo presidente da comissão, vereador Daniel Perondi (PMDB).
Segundo o vereador, o objetivo é conhecer como outros municípios negociaram com a autarquia estadual para a gestão da água e esgoto. “Esses exemplos são importantes, pois nos darão subsídios para definirmos qual é o melhor modelo de gestão para Ijuí”, declarou. Foi dado início a análise dos contratos de Santa Rosa, Cruz Alta e Passo Fundo. Participaram da reunião, além de Perondi, os vereadores Ruben Jagmin, Rosane Simon, César Busnello, Darci Pretto e Marcos Barriquelo.
O Demasi é proposto pelo Executivo Municipal como uma autarquia, nos moldes do Departamento Municipal de Energia de Ijuí (Demei) e tem por finalidade, segundo mensagem encaminhada pelo executivo à câmara, executar o planejamento, estudos, fiscalização, regulação e operação, ou se for caso, a delegação dos serviços, e demais ações pertinentes ao objeto principal, que é, em suma, criar um novo modelo de relação entre o município de Ijuí e a Corsan. Formam ainda a comissão, os vereadores Sérgio Pires, Gladimir Ribeiro, César Busnello e Darci Pretto.


Vereador recebe homenagem nos dois anos do Colégio Tiradentes

Na sexta-feira, dia 5, o vereador Daniel Perondi (PMDB) acompanhou as comemorações dos dois anos de criação do Colégio Tiradentes da Brigada Militar de Ijuí. Na data, o deputado federal Darcísio Perondi (PMDB-RS) foi agraciado com a Comenda do Colégio Tiradentes da Brigada Militar. Perondi foi um dos grandes incentivadores da instalação da escola pública da BM em Ijuí. Ele sugeriu a criação ao ex-comandante 29º Batalhão em Ijuí, coronel João Carlos Trindade Lopes. O ato contou com a presença de autoridades militares, políticas e da comunidade. Na oportunidade, o vereador ijuiense, também recebeu uma homenagem pelo apoio à criação da escola que possui hoje 103 alunos e 15 professores, atendendo a comunidade de toda a região.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Projeto de incentivo a doadores de sangue é aprovado

Projeto de isenção a doadores de sangue é aprovado
Foi aprovado na sessão da Câmara de Vereadores de ontem o projeto de lei, processo nº 325/2011, que autoriza a isenção do pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos municipais aos doadores de sangue. O projeto é do vereador Daniel Perondi (PMDB) e foi protocolado no dia 4 de abril deste ano. A matéria entrou para a apreciação dos vereadores após a comunicação do prefeito Fioravante Ballin, que deu aval ao anteprojeto do vereador peemedebista. Agora, para entrar em vigor, a matéria necessita a sanção do prefeito.
Segundo o artigo 1º da lei, o doador de sangue fica isento do pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos realizados pela Administração Direta, Indireta do município, mas para ter direito a isenção, o doador deverá comprovar a doação de sangue, que não poderá ser inferior a duas doações dentro do período de doze meses.
De acordo com Perondi, o objetivo é incentivar a sociedade a doar sangue e ajudar o próximo. Para ele, a iniciativa é importante, pois Ijuí tem um hospital macrorregional, que atende a 150 municípios, oferecendo tratamento de alta complexidade. “Com o atendimento de doentes de câncer e, mais recentemente, dos pacientes do Instituto do Coração, além dos casos de urgência e emergência, convivemos com uma grande demanda por sangue”, afirmou.
Perondi ressaltou ainda que notícias sobre quedas nos estoques e alertas sobre a necessidade de mais doadores é freqüente. “Sabemos que a doação é um ato de solidariedade. Essa lei considera essa característica, mas também a carência de estoque que é uma realidade diária no Banco de Sangue do HCI. Essa iniciativa quer apenas motivar a comunidade para que tenhamos cada vez mais doadores de sangue. Por fim, promover um estoque maior de sangue para o atendimento de todos os pacientes que precisam é o objetivo desta lei”, destacou.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Projeto de isenção a doadores de sangue será votado hoje

Está na pauta da sessão da Câmara de Vereadores de hoje a aprovação do projeto de lei, processo nº 325/2011, que autoriza a isenção do pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos municipais aos doadores de sangue. O projeto é do vereador Daniel Perondi (PMDB) e foi protocolado no dia 4 de abril deste ano. A matéria entra para a apreciação dos vereadores após a comunicação do prefeito Fioravante Ballin, que deu aval ao anteprojeto do vereador peemedebista.
Segundo o artigo 1º da lei, o doador de sangue fica isento do pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos realizados pela Administração Direta, Indireta do município, mas para ter direito a isenção, o doador deverá comprovar a doação de sangue, que não poderá ser inferior a duas doações dentro do período de doze meses.
De acordo com Perondi, o objetivo é incentivar a sociedade a doar sangue e ajudar o próximo. Para ele, a iniciativa é importante, pois Ijuí tem um hospital macrorregional, que atende a 150 municípios, oferecendo tratamento de alta complexidade. “Com o atendimento de doentes de câncer e, mais recentemente, dos pacientes do Instituto do Coração, além dos casos de urgência e emergência, convivemos com uma grande demanda por sangue”, afirmou.
Perondi ressaltou ainda que notícias sobre quedas nos estoques e alertas sobre a necessidade de mais doadores é freqüente. “Sabemos que a doação é um ato de solidariedade. Essa lei considera essa característica, mas também a carência de estoque que é uma realidade diária no Banco de Sangue do HCI. Essa iniciativa quer apenas motivar a comunidade para que tenhamos cada vez mais doadores de sangue. Por fim, promover um estoque maior de sangue para o atendimento de todos os pacientes que precisam é o objetivo desta lei”, destacou.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Criação de autarquia para gerir saneamento e água em Ijuí não é consenso

A Comissão Especial da Câmara de Vereadores, que analisa a criação do Departamento Municipal de Águas e Saneamento de Ijuí (DEMASI), realizou na última sexta-feira (15), uma audiência pública para tratar do projeto. O DEMASI é proposto pelo Executivo Municipal como uma autarquia, nos moldes do Departamento Municipal de Energia de Ijuí (DEMEI) e tem por finalidade, segundo mensagem encaminhada pelo executivo à câmara, executar o planejamento, estudos, fiscalização, regulação e operação, ou se for caso, a delegação dos serviços, e demais ações pertinentes ao objeto principal, que é, em suma, criar um novo modelo de relação entre o município de Ijuí e a CORSAN.
A reunião foi coordenada pelo presidente da comissão, vereador Daniel Perondi. A convite da comissão estiveram presentes Giuliano Daronco, engenheiro civil da Prefeitura de Santa Rosa; Adilson Steffen, Superintendente Regional da Corsan; Osório Luchese, Secretário de Meio Ambiente de Ijuí e Sady Xavier da Cruz , diretor regional do SINDIÁGUA. Estiveram presentes também a vereadora Rosane Simon e os vereadores Gladimir Ribeiro da Silva e Rubem Carlos Jagmin.
O contrato de Ijuí com a CORSAN esta vencido e foi provisoriamente prorrogado. O principal problema referente a esta questão é relativo ao saneamento básico. Enquanto municípios como Santo Ângelo, Santa Rosa e Cruz Alta tem em torno de 10% de rede de coleta de esgoto, Ijuí está próximo de zero. O executivo culpa a CORSAN pela não execução do serviço, mas a questão vai além. Houve falta de investimento de diferentes governos na companhia estadual ao passo que houve também falta de cobrança por parte de muitos municípios para que a CORSAN cumprisse com o contrato. Outra realidade é que os contratos assinados entre a CORSAN e os municípios eram firmados sem cláusulas que estipulassem prazos e multas, caso os serviços não fossem cumpridos o que prejudicou a cobrança e a relação entre as partes.
Vive-se também outro momento relativo as questões de água e saneamento no país, em que a Lei Federal nº 11.445 de 2007, ao estabelecer as diretrizes nacionais para o saneamento básico, impõe um marco regulatório do setor e estabelece normas que devem ser observadas por todos os entes federativos, União, Estados, Distrito Federal e Municípios, pois estes são responsáveis pelos serviços de saneamento básico.
O município de Santa Rosa foi um dos primeiros a renovar contrato com a CORSAN, ainda em 2008. Estabelecido nos moldes de gestão compartilhada, o contrato estabelece pesadas multas para a companhia estadual pelo descumprimento de contrato, desde o fechamento de buracos abertos nas ruas pela companhia até a falta de cumprimento dos prazos constantes no contrato para a execução do serviço. O contrato de Santa Rosa estabelece que um percentual do dinheiro arrecadado vá para o Fundo Municipal que é gerido por um conselho composto por 3 representantes da CORNAN, 3 da prefeitura e 3 da sociedade civil. “A previsão é de que em 25 anos, o Fundo de Gestão de Saneamento arrecade em torno de 150 milhões de reais”, disse o engenheiro Giuliano Daronco. Giuliano fez uma explanação de como está o andamento do contrato em Santa Rosa. “Desde 2008 até hoje evoluímos bastante. Neste modelo de contrato nós temos como cobrar o serviço e as obras saem. A cidade é um canteiro de obras. Além disso, com o dinheiro do Fundo de Gestão de Saneamento, investimos na estruturação da secretaria adquirindo carros e equipamentos para a fiscalização, além de uma série de investimentos em outros equipamentos para a execução dos serviços de saneamento, como uma máquina de perfuração que permite instalar a tubulação sem a necessidade de quebrar toda a rua, abrindo somente um buraco para a inserção dos canos. Compramos também um caminhão limpa fossa e estamos encaminhando a compra de mais um”, explicou o engenheiro.
O próximo a falar foi Adilson Steffen, Superintendente Regional da Corsan. Adilson reconhece que maus contratos sem cláusulas estabelecendo prazos e multas prejudicaram a execução do serviço em diversos municípios. Porém entende que os novos contratos nos moldes do realizado em Santa Rosa, com um fundo gestor, democratizaram a fiscalização e estão fazendo as obras andarem. “Existe um novo paradigma de universalização do saneamento básico. Nós somos uma empresa pública que não tem como finalidade o lucro, mas dar retorno ao povo gaúcho com investimentos em água e saneamento. Entendo que evoluímos neste sentido porque os fundos de gestão, além de encaminharem as obras de saneamento, permitem aos municípios investimentos em outras áreas como a drenagem urbana”, disse.
Osório Luchese, secretário de meio ambiente de Ijuí, reconheceu que a falta de rede de esgoto em muitos municípios se deve a falta de cobrança do serviço pelos governos municipais. Osório explicou que em Ijuí o executivo trabalha com apenas dois caminhos, ou a criação da autarquia (DEMASI) ou a municipalização. “Nós temos um bom serviço de abastecimento de água, no entanto não temos nada de rede de esgoto. Nosso interesse em fazer saneamento aponta um caminho principal que é o DEMASI como um braço gestor deste serviço. Cremos que esta é a melhor opção para Ijuí”.
A principal diferença estabelecida pelo criação do DEMASI é a de que todo o dinheiro arrecadado com o serviço será totalmente gerido pela autarquia, que repassará a CORSAN os valores referentes aos serviços executados. A autarquia exigirá também a contratação de novos servidores para a gestão do departamento.
Sady Xavier da Cruz , diretor regional do SINDIÁGUA fez defesa do modelo de contrato realizado em Santa Rosa e em outros quase 250 municípios do estado. “Porque temos que tirar dinheiro do fundo gestor, que tem participação da sociedade civil, para pagar funcionários de uma autarquia, quando este dinheiro pode ser investido em saneamento e em ações de educação e preservação do meio ambiente”, questionou Sady. O SINDIÁGUA entende que o modelo proposto por Ijuí é uma terceirização da CORSAN e que os funcionários da companhia não vão aceitar este modelo. “Nós do sindicato não vamos aceitar ser terceirizados pela prefeitura de Ijuí. Santo Ângelo, Santa Rosa e Cruz Alta já renovaram com a CORSAN e estão executando as obras e investindo. Ijuí, com essa demora em renovar o contrato, está perdendo dinheiro e investimentos”.
Um dos questionamentos sobre o DEMASI é de que o executivo estaria invertendo as prioridades. Jorge Aragão, um dos presentes a se manifestar, entende que existe essa inversão. “Estamos perdendo tempo e dinheiro em não formalizar o convênio. Porque não assinar o contrato primeiro e depois pensar em uma autarquia?”
Uma questão é consenso. Os serviços de água e saneamento devem permanecer públicos. Neste sentido a vereadora Rosane Simon lembrou que muitos governos tentaram privatizar a CORSAN e que foi a luta dos trabalhadores e do SINDIÁGUA que impediu esta ação. “Meu maior interesse é garantir que o serviço permaneça público e que tenhamos qualidade e agilidade na sua execução. Mas também entendo que existe uma inversão na proposição de criar uma autarquia, com mais cargos públicos”, disse a vereadora.
O vereador Daniel Perondi entende que a audiência foi muito importante e lamentou que, apesar de a comissão que avalia a questão existir desde 2009, houve pouca interlocução com o executivo. Os vereadores devem encaminhar agora votação do projeto. Ainda não está definido se nesta segunda-feira, última sessão antes do recesso ou no retorno dos trabalhos legislativos em agosto.
Francesca Werner Ferreira, representante da Associação Ijuiense de Proteção ao Ambiente Natural (AIPAN), resumiu um sentimento bastante presente na audiência. “Não estou convencida de que a autarquia seja o melhor caminho”.


Texto e fotos: Adriano Schröer

Unijuí apresenta diagnóstico gerencial da Câmara de Vereadores

Deve sair nos próximos dias uma nova reunião entre os vereadores de Ijuí para analisar com profundidade a síntese do Relatório de Ações Gerenciais para a Câmara Municipal apresentado na última sexta-feira pela Unijuí na reunião das comissões. A análise estratégica desenvolvida pelo Departamento de Estudos da Administração da universidade foi iniciada a partir das tratativas entre o vereador Daniel Perondi (PMDB), o presidente da Unijuí, Martinho Kelm e vice-reitor da Administração, Laerde Gerhke, com o aval do presidente da Casa Legislativa, Tito Varaschini (PDT).
Conforme o professor da Unijuí, especialista em Contabilidade e Gestão Pública, Ivanildo Scheuer, o objetivo do trabalho foi desenvolver um diagnóstico junto ao Legislativo e formular uma proposta de ações para potencializar os pontos fortes e construir as condições de minimizar as fragilidades. “A partir de uma metodologia, a mesma utilizada no estudo da Prefeitura, foi feito um diagnóstico com proposição de um plano de ações”, explicou. O professor Pedro Carlos Rasia também participou da reunião. O trabalho contou ainda com as orientações do chefe de Departamento Gustavo Drews e o professor Marcos Paulo Dhein Griebeler.
De acordo com o vereador Perondi, a iniciativa representará um avanço importante para que o Legislativo torne-se um espaço moderno e com mais participação dos cidadãos ijuienses. O próximo passo é definir etapas para a construção de Diagnóstico e Ações Gerenciais orientadas ao foco de qualificar os resultados das ações do Legislativo. “Ouvimos atentamente os professores da Unijuí, que apresentaram uma análise das capacidades e deficiências da nossa Câmara de Vereadores, e ficamos convencidos de que precisamos avançar para prestar um serviço melhor para nossa comunidade”, defendeu Perondi. O presidente da Câmara, Tito Varaschini, ao final da exposição, manifestou-se disposto a apoiar na implantação de ações de qualificação.
Entre as fraquezas apontadas, a estrutura física precária, servidores desmotivados, absenteísmo, ausência de programas de formação continuada, falta de integração entre os setores, ausência de organograma, ausência de relógio ponto, site da Câmara sem mapa e registro de acessos, falta de responsabilização e execução das atividades laborais de alguns servidores. O estudo ressaltou ainda a vontade política para melhorar o gerenciamento da Câmara, o quadro de servidores qualificados, a infraestrutura em termos de transmissão de dados, o registro eletrônico das reuniões e o atendimento ao público como os pontos positivos da Câmara de Vereadores de Ijuí.

Saúde Pública é tema do projeto de lei do vereador Daniel Perondi

O vereador Daniel Perondi (PMDB) protocolou na quinta-feira, dia 13, o projeto de lei que visa dar mais transparência ao processo de marcação de consultas na rede de saúde básica. Trata-se da divulgação de informações nos estabelecimentos públicos e conveniados sobre o Sistema Único de Saúde (SUS).

Conforme o vereador, o texto prevê a publicação em caráter obrigatório nas unidades da Secretária Municipal de Saúde, bem como nos laboratórios e clínicas com quem mantém convênio para a realização de exames pelo SUS, um quadro receptivo com dimensões de 150cm de largura e 80cm de altura, no qual deverá ser escrito que os exames realizados pelo SUS são gratuitos, sendo ilegal a cobrança de quaisquer valores para sua realização. “O objetivo é evitar qualquer irregularidade e reforçar que a Saúde no Brasil é um direito de todos e dever do Estado, ou seja, prevê o acesso universal igualitário a todos os brasileiros”, afirmou.

O projeto propõe ainda a publicação da lista de médicos com suas respectivas especialidades que atendam pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisa) e rede municipal. Segundo o legislador, ainda há muita falta de informação. “Quanto mais conhecimento as pessoas possuem sobre a legislação e mais acesso existe sobre a gestão pública, melhor será o serviço de saúde que chega até o cidadão ijuiense. Teremos mais consultas, mais exames realizados, respeitando o princípio fundamental do SUS, que é gratuidade”, acrescentou.

Por fim, a lei pretende garantir a divulgação pelo Poder Executivo Municipal, em sua página oficial na Internet, a relação dos medicamentos fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde e que se encontram disponíveis para serem retirados. “Com a aprovação da lei, a população poderá acompanhar pela internet se o medicamento de que precisa está disponível no estoque da Secretaria Municipal de Saúde. Queremos evitar que as pessoas passem horas na fila para ao final descobrir que o medicamento está em falta”, finalizou.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Perondi participa de audiência na Corsan em Porto Alegre


O vereador Daniel Perondi PMDB esteve em Porto Alegre quinta-feira e participou de uma audiência na Presidência da Corsan com o superintendente de Relações Institucionais, o engenheiro André Finamor e a assessora da Presidência, Alessandra Santos. A pauta do encontro foi a renovação do contrato ou não com a Corsan, a proposta do Executivo de Ijuí de criação do Departamento Municipal de Saneamento de Ijuí (Demasi) e da gestão compartilhada da gestão do Saneamento entre município e Corsan.
De acordo com o vereador, os executivos da Companhia Riograndense de Saneamento posicionaram-se contrários a proposta do município de passar a ter a responsabilidade de gerir as receitas geradas em Ijuí. “Eles foram veementes ao afirmar que essa espécie de terceirização não é bem vista e fizeram um alerta. Se hoje existe um superávit no orçamento isso virará déficit assim que as obras da rede de saneamento iniciarem-se”, relatou. “Além disso, o município tem baixa capacidade de endividamento , o que irá dificultar na hora de conseguir empréstimos”, acrescentou.
Ainda sobre a proposta enviada pela Prefeitura de Ijuí , Perondi relatou que não há um parecer e uma contraproposta da Corsan em função do município ainda não ter apresentado o Plano Municipal de Saneamento Básico (Plamsab), que inclusive será tema de uma audiência pública na Sogi no dia 5 de julho, às 19h. “Somente com o plano será possível prever os valores necessários e o total de despesas com as instalações sanitárias, conforme a autarquia estadual”, esclareceu.
Na reunião, ainda foi apresentado o exemplo de Santa Rosa, Passo Fundo, Santo Ângelo e 16 outros municípios que renovaram o contrato com a Corsan com a previsão de penalidades, como multa de 2% do faturamento nos últimos três meses e eventual rescisão do contrato se as metas acordadas não forem cumpridas. “Lá, foi criado um fundo municipal com 5% da tarifa de água e 100% da tarifa de esgoto e um conselho deliberativo compartilhado de gestão”, relatou.
Como presidente da Comissão que avalia o projeto de criação do Demasi, Perondi já promoveu três reuniões com dirigentes da Corsan e da Prefeitura, na Câmara de Vereadores, além da audiência em Porto Alegre para aprofundar o debate e promover aos legisladores subsídios para a votação em Plenário. “Nossa preocupação é com a manutenção e melhoria nos serviços, sem aumento de tarifas para os usuários”, finalizou.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

PMDB Ijuí debate eleição municipal com filiados



No sábado, o PMDB Ijuí reuniu o seu Diretório, Executiva e núcleos da Juventude e da Mulher para um grande encontro. Foi a primeira reunião partidária visando a preparação da sigla para a eleição municipal em 2012. Com a presença do deputado federal Darcísio Perondi, foi aberto um espaço de discussão e deflagrado o processo de tratativas sobre a sucessão municipal, como contato com outras siglas partidárias visando a formação de uma ampla coligação que contemple os anseios e as necessidades dos cidadãos ijuienses. Também ficou acertada a formação de uma nominata para a vereança que contenha a pluralidade dos segmentos do partido e que reflita hoje o espaço que o PMDB ocupa na comunidade.
Nesse encontro também ocorreram novas filiações como resultado de uma estratégia definida de ampliação e qualificação do quadro de filiados. Outro ponto a destacar foi a realização de um debate sobre o cenário político municipal, estadual e federal. Conforme o presidente do PMDB em Ijuí, Erlon Beck, a participação dos membros do diretório foi importante para que seja traçada uma proposta de trabalho que tenha sintonia com as bandeiras de luta dos peemedebistas. “A reunião foi muito rica, pois todos de forma democrática puderam expressar a sua avaliação sobre o momento político da nossa cidade”, afirmou.
Na reunião, o vereador do PMDB, Daniel Perondi, realizou uma prestação de contas da sua atuação no Legislativo. Ele apresentou ao grupo os projetos de lei apresentados durante o seu mandato e ressaltou a sua importante missão de fiscalizar o Executivo, fazendo uma oposição responsável em conjunto com outros vereadores. “É importante ouvir os filiados e colher sugestões para o mandato que não é meu é do partido”, destacou.
O deputado federal Darcísio Perondi fez um relato sobre as sua atuação na Câmara Federal e ressaltou que esse é o momento de ouvir as bases do partido. “Estamos há um ano das eleições e o PMDB de Ijuí é uma sigla importante no contexto partidário, por isso temos a responsabilidade de estar atuantes para corresponder a expectativa dos cidadãos ijuienses oferecendo uma alternativa para Ijuí”, ressaltou.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Perondi denuncia atraso de repasses ao Bom Pastor pela Prefeitura



O vereador Daniel Perondi (PMDB) afirmou hoje na sessão da Câmara que recebeu uma grave reclamação da diretoria do Hospital Bom Pastor contra a Prefeitura de Ijuí. O hospital está há seis meses esperando repasse de valores pelo Executivo. Trata-se de um recurso conquistado com esforço pela gerência do hospital, após a aprovação de um projeto no Ministério da Saúde, voltado para a supervisão do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) 1 do Bom Pastor.
O projeto foi aprovado no ano passado no valor de R$10 mil. O recurso era destinado ao pagamento do psicólogo Nilson Heidmann, que foi selecionado para prestar essa consultoria. Das três parcelas, apenas a primeira foi paga no valor de R$4 mil. A segunda parcela de R$3mil, que era para ser paga no início do segundo semestre de 2010, entrou hoje para aprovação dos vereadores. Ou seja, ainda não foi pago, mesmo o recurso estando disponível nos cofres municipais desde outubro do ano passado.
A diretoria do Bom Pastor cobrou várias vezes o pagamento e nada foi resolvido. Com isso, o psicólogo suspendeu o trabalho e as equipes do Caps ficaram sem o suporte e capacitação conveniada. Sem o recurso, não foi feita a prestação de contas e hoje com a situação de inadimplência não será possível encaminhar um novo projeto para beneficiar e qualificar o Centro que atende atualmente 400 pacientes. “É decepcionante saber que o Bom Pastor perdeu recursos e a qualificação do atendimento que presta à comunidade de Ijuí pela demora da Prefeitura em repassar o dinheiro, que por sinal, foi uma conquista da entidade, através de um projeto que eles desenvolveram”, destacou o vereador. Além disso, foi ressaltado pela diretoria do Bom Pastor que há dois anos, o hospital não recebe nenhum recurso da Prefeitura para as obras do novo prédio. “Ou seja, a Prefeitura investe R$19,7 mil em uma campanha fantasiosa para que Ijuí se torne subsede da Copa do Mundo e deixa de repassar recursos para o Bom Pastor, que tanto necessita de apoio”, finalizou Perondi.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Falta de medicamentos pode ter origem na modalidade de compra

O vereador Daniel Perondi (PMDB) participou hoje à tarde da reunião das comissões da Câmara de Vereadores que contou com a presenção do coordenador de compras e licitações do Município de Ijuí, Walter Arbo. Ele foi convidado a prestar esclarecimentos sobre o processo de compras de medicamentos pela Prefeitura. Há duas semanas, sobre o mesmo tema, os vereadores receberam o Consório Intermunicipal de Saúde do Noroeste do Estado (Cisa).
Perondi perguntou ao coordenador o motivo pelo qual faltam de medicamentos na rede municipal e o porquê da decisão do Executivo de não efetuar a aquisição de remédios via pregão eletrônico do Cisa. "Sabemos que Cruz Alta, Santo Ângelo, por exemplo, compram medicamento pelo Consórcio, que é sediado em Ijuí. Gostaria de saber por que a Prefeitura recusa-se a aderir à modalidade que significa economia de recursos", questionou.
Arbo explicou que a compra de medicamentos pela Prefeitura ocorre por meio de registro de preços, carta-convite e pregão. "Não realizamos um estudo específico sobre os medicamentos, mas recebi a informação da Secretaria Municipal de Saúde de que a compra de exames laboratoriais e outros serviços, feitos diretamente pela Prefeitura, apresentam um custo de até 40% menos do que a tabela do Cisa, mas não é um estudo da nossa coordenadoria", afirmou Arbo.
Ele ressaltou ainda que não possui conhecimentos específicos sobre medicamentos e só efetua a compra quando é acionado pela Secretaria de Saúde, órgão que é responsável pelo recebimento e distribuição dos remédios. "Estou ciente de um caso recente de falta de medicamento. o problema foi causado pela compra de uma empresa que está sob investigação por denúncias de diversas irregularidades, mas desconheço a falta generalizada de remédios na rede municipal", disse.
O vereador Daniel Perondi levantou dúvidas sobre esse estudo. Segundo informou, em 2009, o parlamentar fez um levantamento comparativo de preços e descobriu que em relação aos valores pagos pela Prefeitura e pelo Cisa, o Cisa comprava com valor até 60% inferior à Prefeitura de Ijuí. "O dinheiro desperdiçado na compra de remédios, pode ser exatamente o recurso que está fazendo falta para atender os cidadãos de Ijuí que precisam de medicamento, vão até o posto e não encontram", alertou Perondi.
Ao final, Perondi, juntamente com a bancada de oposição, protocolou um pedido de informação. A intenção é fazer uma nova comparação e verificar se é possível comprar mais remédios por menos em Ijuí. Os vereadores aguardam a resposta sobre quais os medicamentos foram comprados em 2010 e a que valor.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Vereador Perondi defende aprovação do código florestal sem penalizar agricultores

O vereador Daniel Perondi (PMDB) usou o seu espaço hoje na tribuna da Câmara de Vereadores para defender a aprovação do novo Código Florestal Brasileiro e criticar a postura do governo federal que quer manter o produtor na ilegalidade.
Perondi lembrou que as alterações haviam sido amplamente discutidas sob a liderança do relator, o deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB), para atualizar a legislação. “Por que trazer esse assunto ao plenário? Porque essa lei terá reflexos diretos na nossa cidade. A área rural de Ijuí é formada em 80% por pequenos produtores. Estamos em uma região rica em nascentes e rios. Se a lei não for modernizada, nosso campo será penalizado, com muitos produtores totalmente inviabilizados na sua atividade. O nosso produtor perderá o seu ganha-pão”, destacou.
Perondi relatou que para a surpresa de todos, quando esperava-se que a matéria entraria em votação em situação de consenso, na Câmara, o governo recuou, cedendo a pressões de ONGs internacionais. “Por causa do Partido dos Trabalhadores a votação foi adiada novamente”, afirmou. “O nosso deputado federal, Darcísio Perondi, foi um dos líderes da rebelião. Isso nos orgulha. Ele e o meu partido, o PMDB, estão lutando e votando em bloco para aprovar um Código Florestal justo, que valorize a agricultura e não expulse o pequeno agricultor da terra”. acrescentou.
Amanhã a matéria voltará ao Plenário. O maior impasse é em relação às áreas de preservação permanente (APPs) situadas à beira de rios e encostas de morros. Pelo texto final do relator, essas áreas serão regulamentadas por meio de decreto federal. Para a bancada ruralista e para a oposição, a transferência da prerrogativa para o Executivo será uma espécie de “cheque em branco”.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Perondi afirma que todos já sabiam que Ijuí não poderia sediar a Copa do Mundo, menos o vice-prefeito

O vereador Daniel Perondi (PMDB) utilizou o seu espaço ontem na tribuna da Câmara de Vereadores para avaliar a notícia de que Ijuí foi descartada ontem pela Fifa como concorrente a subsede da Copa do Mundo 2014. Com a notícia, o vice-prefeito, Ubirajara Teixeira (PT), vê chegar ao fim a campanha que liderou para que Ijuí recebesse uma seleção no mundial de clubes. Nos últimos dois anos, o Executivo desenvolveu uma série de ações voltadas à Copa. Além de formar um comitê municipal, desenvolver uma série de reuniões, criar um stand na ExpoIjuí, a Prefeitura divulgou farto material publicitário para rádio, TV e jornais.
O vereador afirmou que a notícia informa o que ele já sabia e o que o Executivo já sabia e lembrou que o ex-vereador, prefeito e deputado-federal Emídio Perondi já havia alertado na ExpoIjuí do ano passado que esse projeto da subsede era muito difícil de se tornar realidade. “Quem de nós não quer que Ijuí seja subsede da Copa. Todos nós queremos. Mas nós sabemos que essa conquista depende de investimentos em infraestrutura, em cultura, para que Ijuí possua atrativos turísticos, o que hoje é uma realidade distante”, afirmou.
Para Perondi, o número de viagens do vice-prefeito de Ijuí a Brasília não correspondem ao volume de recursos conquistados, mesmo ele sendo do mesmo partido do governo federal. “Mas na semana passada, ele se superou. Foi ao Rio de Janeiro para participar de reunião na Fifa sobre a Copa de 2014. E o resultado da viagem recebemos agora”, destacou.
Na opinião do vereador Daniel Perondi, o vice-prefeito de Ijuí deveria centrar esforços em liberar restos a pagar empenhados para Ijuí pela União. Segundo dados da Amuplam, Ijuí aguarda desde 2008 R$1,3 milhão em recursos. “Ao invés do vice-prefeito viajar a Brasília com o nosso dinheiro para Ijuí ser subsede, Bira deveria estar buscando viabilizar projetos necessários para a nossa comunidade”, disparou.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Vereador Daniel Perondi pede uma Comissão Especial para investigar problemas no fornecimento de energia elétrica

O vereador Daniel Perondi (PMDB) protocolou ontem na sessão da Câmara de Vereadores o pedido de criação de uma comissão especial. O objetivo é investigar as causas do apagão que deixou 26 mil residências, escolas, universidade e prédios públicos de Ijuí sem energia elétrica durante mais de três horas na última quinta-feira.

De acordo com o vereador, é preciso verificar o que está causando tantos interrupimentos no fornecimento elétrico, seja na infraestrutura do Demei, seja na subestação da CEEE. “Não podemos aceitar que a população sofra com tantos transtornos. Foram duas horas sem sequer informações sobre o que estava acontecendo, o que gerou pânico. Isso é lamentável”, declara. “É necessário pelo menos a implantação de uma equipe local de manutenção”, salientou.

Ele relatou que estava voltando de Porto Alegre, após participar do encontro Estradas e Bandeiras do PMDB, quando recebeu diversos telefonemas informando sobre o blecaute. "A sede da CEEE fica em Santo Ângelo. Ijuí precisa esperar horas para ter seus problemas resolvidos. Isso não demonstra a atitude esperada da parte dos dirigentes do Demei para garantir o atendimento adequado dos consumidores e cidadãos ijuienses”, relata. “Isso que historicamente era Ijuí quem fornecia energia elétrica para Santo Ângelo, gerada na Usina Velha, graças ao pioneirismo dos nossos colonizadores”, lembrou.

O vereador Perondi afirmou ainda que o conselho dos consumidores do Demei já alerta há anos sobre os problemas da subestação da CEEE e sobre a exaustão do sistema elétrico e que as consequências seriam dramáticas. “Infelizmente, passam-se os anos e nada é feito. Temos que agir para evitar que os problemas acentuem-se ainda mais já que a subestação tem mais de 50 anos”, finalizou.

Vereador Daniel Perondi participa do encontro Estradas e Bandeiras em Porto Alegre

O vereador Daniel Perondi (PMDB) esteve ontem em Porto Alegre participando do evento Rumo aos Municípios 2012: Estradas e Bandeiras, organizado pela Fundação Ulysses Guimarães (FUG). Com a meta de mobilizar a base partidária, esteve no Estado, o senador de Rondônia, Valdir Raupp e presidente nacional do PMDB.
Conforme destacou o vereador ijuiense, a preocupação com a formação dos militantes e com a mobilização antecipada, com vistas às eleições municipais, vão fazer a diferença no próximo ano. “Fiquei motivado com os discursos e alertas dos partidários”, afirmou. Daniel ressaltou ainda o trabalho de resgate histórico da importância do PMDB na política nacional como a luta pela anistia e pela democratização do país. “Estou começando na política, mas é muito bom saber que faço parte de um partido que está ligado às grandes conquistas do povo brasileiro”, comentou.
No encontro, o presidente do PMDB, que é catarinense, voltou a afirmar que o partido terá candidaturas próprias em todos os municípios nas eleições de 2012. O senador destacou que com o apoio da FUG, vinculada ao partido, ele percorrerá até julho todos os estados visando debater as eleições municipais e a preparação de candidatos a presidência da República, em 2014.
Partido com maior representação nos executivos e legislativos do País, o PMDB almeja lançar candidatura própria em todos os mais de 5 mil municípios brasileiros. O presidente da FUG, ex-deputado federal Eliseu Padilha, reconhece que a proposta é ambiciosa, mas não abre mão de recomendar a mobilização aos correligionários.
A meta é eleger 1.300 prefeitos no País e, no Rio Grande do Sul, não menos do que os atuais 143. Raupp disse que o nome de Ibsen Pinheiro é uma hipótese viável para a disputa da prefeitura de Porto Alegre. O presidente nacional também quer que o PMDB apresente candidatura própria à presidência da República, o que não fez em 2010. Raupp aposta em Temer e no governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Comissão ouve Executivo sobre mudanças na gestão do Saneamento


A comissão especial da Câmara que está avaliando a proposta de criação de uma autarquia municipal para gestão da água e esgoto em Ijuí recebeu hoje o secretário municipal de Meio Ambiente, Osório Lucchese, e integrantes da assessoria jurídica do Executivo para aprofundar o debate da proposta da Prefeitura de Ijuí de criar uma autarquia para gerir o serviço de saneamento da cidade.
Estiveram presentes os assessores jurídicos Dante Trindade, Harry Bender e Gerson Ferreira, a engenheira química Joice Oliveira, a advogada Cleuza Marisa Froner, além dos vereadores Daniel Perondi (PMDB) e Gladimir Ribeiro (PSDB).
Os representantes do Executivo foram unânimes em defender a criação da autarquia. Segundo o secretário Osório, a Corsan precisa se adequar às necessidades da população de Ijuí. Ele relatou que há anos a companhia está pecando pela omissão dos serviços. “A criação do Demasi se justifica para que o Executivo dê as cartas”, afirmou. O secretário explicou que como está sendo proposta a criação da autarquia não haverá custo para a Prefeitura, pois os servidores e investimentos serão pagos pelo sistema, ou seja, com as receitas que passarão a ficar no município. “A autarquia terá que se autogerir”, afirma. Osório destacou que com a Lei do Saneamento de 2007, deve se pensar o saneamento ambiental como um todo. “A autarquia futuramente deve abranger água, esgoto, drenagem urbana e lixo”, defendeu.
O presidente da Comissão, o vereador Daniel Perondi (PMDB), solicitou a reunião com o objetivo de esclarecer dúvidas e garantir subsídios para a futura avaliação da legislação que precisa ser aprovada pelo Legislativo. “A proposta da Prefeitura de Gestão Compartilhada é positiva, pois garante que os recursos fiquem em Ijuí para investimento na cidade. Mas minha preocupação continua com a hipótese da Corsan não aceitar o contrato proposto, pois como ficará questões como as possíveis indenizações para a Companhia Estadual de Saneamento”, destaca. O vereador mostra apreensão ainda em relação à garantia dos investimentos no saneamento. “A proposta precisa garantir que a população receba o serviço completo em saneamento, que em Ijuí, a carência está no saneamento básico”, explica. Ele sugeriu ainda que a autarquia inicie apenas com o papel fiscalizatório dos investimentos, diante de cláusulas específicas que obriguem a Corsan a executar as obras em períodos determinados sob pena de ser rescindido o contrato, sem o pagamento de nenhuma indenização do município para a Corsan. “Daqui a cinco anos, adquirindo experiência e estruturando-se, Ijuí poderá dar um passo mais seguro nesse objetivo, passando para a gestão total dos serviços, incluindo a parte financeira”, alertou.
Na reunião, foi debatido ainda o parecer jurídico da Prefeitura que apontou os riscos existentes da municipalização para o Executivo. Segundo os relatos dos assessores, a posição jurídica da Prefeitura mudou a partir da informação de que um recurso que foi julgado no Tribunal de Justiça de decreto da Prefeitura de São Gabriel teve posição favorável em instância superior no STJ. A decisão pode garantir a rescisão do contrato com a Corsan. Segundo o advogado Gerson Ferreira, isso pode influenciar outros julgamentos que poderão ter resultado positivo para os municípios, o que não vem acontecendo hoje no âmbito estadual.
Segundo cálculos da Corsan, as obras de canalização em Ijuí precisam receber um aporte de R$ 130 milhões. Foi o segundo encontro da comissão. O grupo de parlamentares já ouviu representantes da Corsan. A autarquia estadual tem 90 dias para analisar a proposta do Executivo ijuiense.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Medianeira participa da reunião das comissões

O vereador Daniel Perondi (PMDB) destacou ontem o bom serviço prestado pela empresa Medianeira Transporte responsável pelo transporte público urbano dos ijuienses. Os integrantes da diretoria da emppresa Victorino Aldo Sacool e Paulo Roberto Saccol, além dos funcionários Marcos Saccol e Márcia Saccol, e do assessor jurídico Zeno Bittencourt de Souza explicaram na reunião das Comissões da Câmara de Vereadores como a empresa presta o serviço ao município. "Gostaria de sugerir que a empresa ampliasse a sua área de atuação e prestasse o serviço de coleta de lixo em Ijuí. Seria benéfico à nossa comunidade que a mesma competência chegasse ao serviço de coleta de resíduos", comentou o vereador.


Durante a reunião, os vereadores ressaltaram a qualidade do serviço prestado pela Medianeira, ressaltando que, comparado a outros municípios, é constatada uma qualidade maior. Os representantes da Medianeira Transportes também apresentaram dados referentes a satisfação dos passageiros, que apresenta índices muito superiores aos registrados em outros municípios.
Ao final foi sugerida a participação dos diretores da empresa nas discussões sobre o Plano de Mobilidade do Município, que está em discussão.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Corsan apresenta exemplo de Santa Rosa para análise dos vereadores de Ijuí



A comissão especial da Câmara que vai avaliar a proposta de criação de uma autarquia municipal para gestão da distribuição de água e de saneamento básico em Ijuí esteve reunida ontem. O encontro teve a presença do gerente regional da Corsan, Edison Oliveira, do superintendente regional da Corsan, Adilson João Steffen, do diretor da Regional Noroeste do Sindiágua, Sady Xavier da Cruz e o engenheiro da Corsan Paulo Schommer. Representando o Legislativo, o vereador Daniel Perondi e demais membros da comissão.
A iniciativa, de acordo com o presidente da comissão, o vereador Daniel Perondi, visou analisar a proposta do Executivo e tirar dúvidas com os representantes da autarquia estadual sobre a viabilidade do contrato apresentado no dia 6 pelo prefeito Fioravante Ballin em Porto Alegre. “A Corsan presta um bom serviço no abastecimento de água, mas em relação ao esgoto, há um déficit de investimentos em Ijuí”, lembrou. No entanto, na opinião do legislador, é preciso analisar com cuidado a ideia da gestão compartilhada para garantir os investimentos necessários e a manutenção do serviço, sem prejuízo para os moradores. “É preciso aprofundar o debate e essa reunião foi fundamental”, declarou.
A comitiva da Corsan apresentou como sugestão para a análise dos vereadores de Ijuí o contrato firmado entre a companhia e a Prefeitura de Santa Rosa. Lá, foram definidas obrigações e metas de trabalho de curto prazo, que se não forem cumpridas, permitem ao Executivo a rescisão do contrato sem o pagamento de multa. Ainda segundo o superintendente Adilson Steffen, o contrato prevê o pagamento de 5% do faturamento sobre a água e 100% sobre o esgoto para o Executivo daquela cidade. “Para definir o destino dos recursos e a forma como serão usados os repasses, que formam um Fundo de Gestão Compartilhada, foi necessário formar uma comissão paritária”, relata. Formam a comissão, três membros da Prefeitura, três membros da Corsan e três representantes dos consumidores.
Os representantes da Corsan, embora não tenham se manifestado sobre a proposta apresentada pelo Executivo – o prazo é de 90 dias, externaram uma preocupação com a não renovação do contrato. Segundo eles, pode faltar ao Executivo experiência e lastro financeiro para conseguir financiamentos com o governo federal e entidades internacionais para obras de saneamento. Conforme o engenheiro Schommer, os vereadores e a comunidade devem ter conhecimento sobre essa negociação. “É preciso avaliar a liquidez do negócio, quanto custará, considerando custos e benefícios”, avaliou. Já o representante do sindicato dos servidores da Corsan se posicionou fortemente contrário à proposta do prefeito Ballin. “O sindicato é contra e não aceira a criação de uma autarquia assim como a terceirização dos serviços da Corsan para o município”, afirmou Sady da Cruz.
A comitiva da Corsan informou ainda que há um estudo na autarquia estadual visando ampliar a tarifa social, que hoje é destinada apenas aos cadastrados no Bolsa Família. “Queremos estender para casos de hipossuficiência financeira”, afirmou Steffen. O grupo acenou ainda com a possibilidade de firmar em contrato a obrigação de estender a canalização de água para o interior. Por fim, afirmaram que se projeta que a taxa de esgoto, que passará a ser cobrada dos consumidores, fique em torno de 70% do custo do metro cúbico da água. Por exemplo, o custo do m3 de água hoje é R$3,20. Portanto, o consumo de 10m3 de água sai por R$32,00, de esgoto, sairá por R$22,40, que somados a taxa da água de R$15,00, a conta ficará aproximadamente em R$72,00. Uma nova reunião da comissão já está agenda. Desta vez, será com a presença dos representantes do Executivo.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Moradores do Thomé de Souza pedem mais calçamento

O vereador Daniel Perondi, a pedido de moradores, visitou ontem o bairro Thomé de Souza. Entre as reivindicações da comunidade está o calçamento de diversas ruas. As pessoas se queixam da sujeira, do barro em dias de chuva e, principalmente, os transtornos para os filhos a caminho da escola e dos trabalhadores que precisam enfrentar o pó ou o barro diariamente. De acordo com o vereador, os trechos mais solicitados são as ruas Nelci Barriquelo de Oliveira, Rodolpho Vogt e Luiz Edmundo Weber. "Me sinto no dever de apoiar os moradores do Thomé. Defendo que o Poder Público trabalhe para garantir uma infraestrutura adequada para todos os ijuienses", afirmou. O vereador informou que está circulando pelo bairro um abaixo-assinado pedindo mais investimento no bairro, em especial nas ruas com mais problemas e maior circulação de pessoas.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Vereadores marcam nova data para reunião com a Corsan


Foi transferida para terça-feira, dia 12, às 14h, a reunião da comissão especial da Câmara que vai avaliar a proposta de criação de uma autarquia municipal para gestão da distribuição de água e de saneamento básico em Ijuí. O encontro terá a presença do gerente regional da Corsan, Edison Oliveira e o superintendente regional da Corsan, Adilson João Steffen. O encontro estava marcado para hoje, mas foi adiado.
A iniciativa, de acordo com o presidente da comissão, o vereador Daniel Perondi, é analisar a proposta do Executivo e tirar dúvidas com os representantes da autarquia estadual sobre a viabilidade do contrato apresentado quarta-feira. Para ele, a gestão compartilhada pode ser muito positiva para o município, mas é preciso analisar com cuidado para garantir os investimentos necessários e a manutenção do serviço, sem prejuízo para os moradores. “A proposta apresentada ainda não foi discutida com o Legislativo. É preciso aprofundar o debate”, declarou.
Ele lembra que existem experiências ruins de municipalização. É o caso de Novo Hamburgo, que tem hoje uma dívida de R$130 milhões com a Corsan. “Outros municípios que estavam negociando com a estatal, acabaram renovando o contrato, é o caso de Santa Rosa”, comentou. Daniel lembrou ainda que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou e suspendeu os editais de três licitações de prefeituras (Uruguaiana, Santa Cruz do Sul e São Luiz Gonzaga) que pretendem trocar a Corsan por outra prestadora de serviço de água. Por fim, defende que o prazo de 90 dias dado à Corsan para definir posicionamento sobre a proposta é muito longo.
O projeto de lei do Poder Executivo de criar um Departamento Municipal de Saneamento de Ijuí (Demasi) está em tramitação na Câmara de Vereadores, em fase inicial, no âmbito das comissões.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Discurso homenagem aos 45 anos do PMDB

Boa noite plenário e colegas vereadores,

Esta noite farei um breve resgate histórico. Sou o único vereador do PMDB de Ijuí. Meu partido surgiu em 1965, durante o regime militar, que extinguiu os partidos políticos existentes no Brasil pelo AI (ato institucional) número 2. Foram criadas duas siglas provisórias. A Arena e precisamente em 24 de março de 1966, o MDB. No período autoritário, o MDB foi a única alternativa de oposição no Brasil, excetuando os grupos que escolheram a clandestinidade e a guerrilha armada.
Na obra Democracia e Partidos Políticos no Brasil, conforme o historiador ijuiense Argemiro Jacob Brum, que nos brindou na última semana com a sua ilustre presença nesta casa, o MDB na época conseguiu despertar o espírito político adormecido do povo e tornou-se o escoadouro dos descontentamentos dos brasileiros.
Com respaldo popular, o MDB fez com que o regime militar desistisse do bipartidarismo e extinguisse a Arena. Isso depois da ditadura tentar impedir uma vitória estrondosa do MDB em 1978, tornando indiretas as eleições para governador e instituindo a figura do senador biônico com o artifício da Lei Falcão.
Assim o MDB torna-se PMDB e consolida-se com a principal base política de sustentação do processo de democratização do país. As suas principais bandeiras políticas eram o fim da ditadura militar, o fim das prisões e torturas, pela conquista das liberdades democráticas, anistia ampla, geral e irrestrita, eleição direta em todos os níveis, assembléia nacional constituinte, liberdade de imprensa, de organização política e sindical, entre outras lutas.
O PMDB aglutinou forças para eleger Tancredo Neves presidente no Colégio Eleitoral. Teve como líder a figura histórica de Ulysses Guimarães, que se projetou como símbolo da Constituinte e da própria transição democrática na campanha das Diretas Já.
Aos 45 anos, o PMDB vive outro momento histórico. Participei sábado na cidade de 15 de Novembro do primeiro encontro do projeto “O PMDB que eu quero”. É um significativo retorno às bases partidárias construídas ao longo da história e que vão guiar o partido, refundando a sua identidade e o tornando novamente o canal das aspirações por mudanças ambicionadas pela maioria da população brasileira.

Daniel Perondi
Vereador do PMDB

Vereador Daniel Perondi participa de encontro regional do PMDB


O PMDB realizou sábado na cidade de 15 de Novembro o primeiro encontro regional do projeto "O PMDB que eu quero". Participaram 150 militantes, de 22 municípios, das regiões Alto Jacuí, Grande Soledade e Planalto Médio. Entre eles, o presidente do PMDB RS, Ibsen Pinheiro, o deputado federal Darcísio Perondi, o deputado estadual Marco Alba e o vereador Daniel Perondi. Bandeiras partidárias, eleições 2012, postura do partido perante o governo estadual e federal foram os temas levantados na reunião voltada à retomada da identidade partidária do PMDB.
Após a discussão temáticas, os grupos formalizaram quinze apontamentos referentes a cada um dos assuntos propostos. Relator da síntese das propostas, Daniel Perondi, destacou o pedido de participação contínua da militância, análise do cenário partidário em todos os municípios do Estado, permanência no papel de oposição ao governo estadual e maior aproximação com o governo federal. “Aos 45 anos, o PMDB vive outro momento histórico: o retorno às bases partidárias construídas ao longo de décadas vão guiar o partido e aproximá-lo das demandas da maioria da população brasileira”, afirmou.

Finalizando o evento, o presidente Ibsen Pinheiro, destacou a trajetória da legenda enquanto protagonista e oposição e a capacidade que o partido tem se de renovar. “Quando olhamos para nós, necessariamente estamos olhando para o Brasil, ainda que não percebamos isso. O Brasil não tem como desvincular sua historia do PMDB”, afirmou. “Esse debate é produto do enfrentamento que se fez nas eleições, não fosse isso, não teria aflorado o desejo nas bases de ser protagonista, de fazer parte das discussões”, complementou.

segunda-feira, 28 de março de 2011

No mês da Mulher, vereador Daniel Perondi (PMDB) protocola anteprojeto de auxílio-creche

O vereador Daniel Perondi (PMDB) protocolou hoje na sessão da Câmara de Vereadores, na sessão em que foi entregue o troféu Mulher Cidadã, o anteprojeto de lei que institui auxílio-creche para as crianças que não conseguem vagas nas creches municipais. O objetivo é garantir à mulher ijuiense o direito a trabalhar de forma remunerada, fora do ambiente doméstico. O auxílio-creche será destinado às mães que não podem pagar escola particular e que estão aguardando vaga na rede municipal. “Tenho convicção que conquistarei o apoio dos meus colegas e a simpatia do Executivo para implantar esse projeto até que a nossa rede, que está se aprimorando a cada ano, ofereça vagas a todas as crianças de seis meses aos seis anos”, defendeu em seu discurso.
O vereador explicou ter sido sensibilizado para o problema ao tomar conhecimento da falta de vagas para as crianças nas creches municipais. “Sabemos que muitas mães dependem da rede pública gratuita para terem acesso ao mercado de trabalho”, ressaltou. “Considerando que a oferta de vagas na Educação Infantil é prerrogativa do município e que o Executivo de Ijuí ainda não conseguiu alcançar a meta da universalização do acesso, esta proposta vai atender a demanda por vagas, na rede particular, enquanto o município não contempla na própria rede o número de vagas necessárias para garantir acesso a todas as crianças que precisam”, acrescentou.
No seu discurso homenageou as mulheres ijuienses que ocupam importantes espaços em diversos setores da sociedade. Lembrou que em Ijuí as mulheres são maioria. São 38,1 mil homens para 40,8 mil mulheres. “São elas que comandam as famílias, cuidam das casas, são zelosas mães, com a importante responsabilidade de cuidar dos seus filhos. Corajosas, determinadas, dividem hoje de igual para igual os espaços no mercado de trabalho, predominam nas cadeiras da universidade e cada vez mais tomam as vagas no serviço público, na política, no setor de serviços, nas microempresas e no mercado informal”, declarou.
Além de parabenizar as vereadoras Helena Marder e Rosane Simon pelo belo trabalho que desenvolvem no Legislativo, lembrou das servidoras do Executivo, das coordenadoras regionais de Educação e Saúde, das corajosas delegadas, das colegas advogadas e das juízas e promotoras que orgulham o Judiciário. “Na área da Saúde, um carinho especial para nossas médicas, enfermeiras, técnicas em Enfermagem e agentes de Saúde. No Hospital de Caridade, elas representam 74% da força de trabalho”, destacou.
Ao final, fez uma reverência especial as homenageadas da noite: Elenir Didoné, Maria Luiza Lucchese e Elvira Dalmás pela passagem de mais um 8 de Março.

Perondi acompanha eleição no Thomé de Souza

Com a presença do vereador Daniel Perondi (PMDB), a comunidade do bairro Thomé de Souza fez um esforço de mobilização na sede da localidade no domingo para eleger a nova diretoria que irá representar os interesses da comunidade.
Mesmo com chuva, foram 212 votantes, o maior número de pessoas que compareceu numa eleição de chapa única até o momento. Deste total, 207 foram favoráveis a eleição da nova diretoria, sendo três votos contra, um nulo e um branco.
“A comunidade do bairro Thomé de Souza vinha travando uma discussão com o antigo presidente do bairro, que até então não havia deixado a gestão, alegando que uma nova eleição só poderia ser realizada no mês de novembro, conforme o estatuto do bairro, mas a comunidade se mobilizou, mostrou a sua força e o resultado está se materializando hoje”, comemorou Perondi.
Com o acompanhamento de membros da Uabi e comissão eleitoral do bairro, a comunidade elegeu a chapa de Gilberto da Fontoura e Moacir Genésio Macedo, que deve ficar à frente da diretoria.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Vereador Perondi defendeu transparência da Mesa Diretora da Câmara

O vereador Daniel Perondi (PMDB) participou agora à tarde da reunião das comissões da Câmara de Vereadores. No encontro semanal, além da avaliação de 10 projetos de lei, ocorreu a visita do promotor de Justiça Felipe Teixeira Neto. Na pauta, as repercussões do inquérito do Ministério Público contra a Mesa Diretora da Câmara para apurar irregularidades administrativas em relação à desproporção de cargos em comissão e de servidores efetivos. Atualmente, existem 17 CCs à disposição da Mesa Diretora.
O representante de Ministério Público questionou o posicionamento de alguns vereadores na Tribuna da Câmara que realizaram duras críticas ao papel o MP. A polêmica foi iniciada segunda-feira com a divulgação de uma carta anônima com graves denúncias sobre a gestão da Câmara de Vereadores, que cita o nome de vários vereadores da atual legislativo e ex-presidentes. “Não acho justo que o Ministério Público pague pelas denúncias, que nem sequer foram valorizadas por mim, apenas constam nos autos. Vale lembrar que a instituição não está processando nem maculando a imagem de ninguém. Está sendo dada relevância desproporcional ao fato”, afirmou o promotor.
“O Ministério Público tem a obrigação de nos fiscalizar. Não podemos generalizar para todos os vereadores condutas irregulares denunciadas de forma anônima. Para mim, o mais importante é a denúncia do Tribunal de Contas de 2009, que na verdade gerou esse inquérito. Todos têm a obrigação de responder sobre os seus CCs com transparência. Nosso objetivo é acompanhar e garantir que esse inquérito aponte eventuais equívocos e que se necessário sejam punidos os responsáveis”, declarou o vereador Daniel Perondi.
Outro projeto que causou polêmica foi o PL n65/2011 que autoriza o Poder Executivo a dar anuência para transferência de imóvel. Trata-se da venda de área, que foi cedida pela Prefeitura. Foi denunciado que a área está sofrendo processo de especulação imobiliária, inclusive em processo de negociação por R$180 mil, tendo a área já sido transferida anteriormente por R$ 29mil.
Daniel afirmou que essa postura de falta de fiscalização é recorrente em se tratando de doações de áreas industriais. Também foram questionados erros na legislação, que não exige penalidades para o empreendedor que não cumpra com os investimentos prometidos. Foi solicitado parecer jurídico sobre a doação e recibos de pagamentos. Inclusive, foi cogitada a revogação da lei. “Não se pode especular com áreas que são ofertadas pelo Executivo com o objetivo de gerar desenvolvimento econômico para o município e comunidade, através da geração de emprego. Da forma como está acontecendo, apenas algumas pessoas estão agindo em benefício próprio com o patrimônio que já foi da Prefeitura, ou seja, de todos nós ijuienses”, declarou.
Também foram apreciados: o projeto que cria o Gabinete de Gestão Integrada do Município de Ijuí, que repassa R$8 mil do Executivo para a Uabi, que cria vaga na Prefeitura para dois engenheiros civis e de engenheiro agrônomo para o Imeab, entre outros.

terça-feira, 22 de março de 2011

Perondi defende uma análise criteriosa dos CCs da Mesa Diretora



“É preciso analisar com cautela os cargos em comissão da Mesa Diretora e definir quantas funções são necessárias para o bom andamento do Legislativo”. Foi a posição do vereador do PMDB Daniel Perondi no debate deflagrado hoje na sessão da Câmara sobre o pedido do Ministério Público de esclarecimentos sobre os Cargos de Comissão (CCs) que atuam na Câmara de Vereadores. Além dos dois CCs para cada vereador, existem 17 cargos em comissão para a Mesa Diretora.
Perondi se pronunciou declarando apoio ao projeto do Portal da Transparência para viabilizar mais acesso pela comunidade aos gastos e às ações legislativas. Sobre a resolução, que extingue cargos em comissão, n°1.018 de 9 de março, que está em análise após a Promotoria Pública de Ijuí instaurar inquérito civil para saber a função de cada um, Perondi disse que “espera que essas mudanças não digam respeito a uma manobra agora que os cargos foram questionados pelo Ministério Público, mas signifiquem uma iniciativa da Mesa Diretora em benefício do trabalho dos vereadores e da comunidade”.
Perondi ressaltou ainda que o site da Câmara dos Vereadores precisa ser atualizado com mais freqüência. Nos próximos 10 dias, a Câmara deve enviar ao Ministério Público documento explicando a função dos CCs da Câmara.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Discurso de homenagem ao São Luiz

Muita gente me perguntou sobre o discurso de homenagem ao São Luiz. Sei que a fase não é boa, mas não está morto quem peleia. Se o tima lutar com garra, conseguirá se manter entre os grandes. Aqui o texto, feito depois de muita pesquisa. 


Boa noite, a todos os presentes,

Quero começar essa homenagem ao Esporte Clube São Luiz destacando os homens que atualmente trabalham para manter viva a força do futebol ijuiense. Quero sublinhar nomes como Sadi Pereira – Presidente
Vilson Emílio Hepp - 1º Vice-presidente
João Carlos Bevilaqua - 2º Vice-presidente
Sídio K. Felten Filho – vice-presidente de futebol
Delmar Blatt - diretor de futebol
Erlo Endruweit - vice-presidente de marketing
Rogério Hansen - diretor de marketing
Dilson Vicente Lena - Vice-presidente administrativo
Delmar Luís Leviske - Vice-presidente jurídico
Álvaro José Ruwer - Vice-presidente de patrimônio
Pedro Pittol - Diretor de Patrimônio
Marcos Treter - Vice-presidente financeiro
Antônio de Almeida - Diretor financeiro
Arlindo Treter - Assessor de Futebol
Ricardo Miron - presidente do Conselho Deliberativo
Parabéns a todos esses homens que se dedicam ao futebol e ao São Luiz.

Quero também aproveitar esse momento para lembrar a história do glorioso Esporte Clube São Luiz, que foi fundado em 20 de fevereiro de 1938. Os primórdios em uma aula noturna do professor Angelino Alves dos Santos que funcionava no antigo Salão São Luiz, da Paróquia Natividade. O nome ficou em homenagem a esse santo considerado protetor da mocidade. O 1º presidente, na eleição que aconteceu dia 3 de março de 1939 foi Wilmarino Fonseca. O primeiro jogo do São Luiz registrado pela imprensa aconteceu no dia 7 de agosto com uma vitória contra o Gaúcho, da Linha 8 Leste. Em 1940, o São Luiz foi pela primeira vez campeão da cidade. Em 1944, o maior título da época do amadorismo, vice-campeão da Serra.

Desde a sua fundação, o São Luiz sempre utilizou o campo do 19 de Outrubro. Em 1960, o então prefeito, Beno Orlando Burmann, ex-presidente do São Luiz, encaminhou à Câmara projeto de lei propondo a doação do Estádio, também conhecido como Estádio da Baixada ao Esporte Clube São Luiz. Em sessão da Câmara realizada em 7 de junho foi aprovado. A lei nº 636 foi sancionada dia 20 de junho, assegurando a doação daquele bem público.

A partir daí inicia-se a fase profissional do clube ijuiense. Em 1952, o São Luiz subiu para a 2ª Divisão de Profissionais e em 1961, para a 1ª Divisão. Em 1959, iniciou-se uma movimentação pela construção de um estádio. Na época, foi oferecido ao clube pelos irmãos Antonio e Tarquineo Burtet uma área de 19,5 mil metros. Mas foi definida a construção na área da baixada. Em 1960, a obra iniciou com o levantamento dos muros.

Meu tio, Emídio Odósio, depois de participar de diversas diretorias, foi eleito presidente do clube em 1963. No período, as obras do estádio, ganharam impulso. Em 1975/76 voltou a dirigir o São Luiz e permaneceu 78/79. Meu pai, também foi presidente no período de 1993 a 1996 (confirmar). Ele investiu na reforma da parte elétrica e melhorou a sede administrativa.

A Era de Ouro do time foi entre 1974 e 76, quando participou da divisão especial.  Em 1974, foi instalado no estádio o sistema de iluminação. Trabalho de melhoria no patrimônio do clube foi feito pelo secretário municipal de energia Nilo Bonfanti. Em março desse mesmo ano, o clube conquistou um título internacional campeão da Copa dos Gaúchos com a vitória de 1 a 0 sobre o Liverpool em Ijuí. Em 1975, foi campeão da Copa Pedro Carneiro Pereira e obteve o quinto lugar no Gauchão. A grande campanha repercutiu na grande imprensa. Uma matéria de quatro páginas na revista especializada em futebol Placar sintetiza esse momento, descrevendo o São Luiz como o time mais rico e promissor do interior do Estado, financiado pelo dinheiro da soja. Um orgulho para toda a comunidade, durante a presidência do meu tio Emídio, período em que ele era também prefeito do município.

Depois da fase áurea, em 1977, São Luiz se licencia da Federação Gaúcha de Futebol. Foram nove anos de retrocesso. Com o Movimento de Retomada do Desenvolvimento, o clube ganha novo impulso. Em 1986, a tão esperada volta ao futebol profissional. Com a conquista do título da 2a divisão em 1990, volta ao Gauchão em 1991. Nesse ano, eliminou o Grêmio na Copa do Governador do Estado, perdendo o título no Beira-Rio por 2X0. Também em 91, outro momento memorável, disputou um amistoso coma Seleção Brasileira e arrancou heroico empate 0 a 0. Em 95, novamente faz bela campanha e em 97, conquista a Copa Galego.

Neste ano, o São Luiz completou 73 anos de história. Ele é o único representante do Noroeste na elite do futebol gaúcho. É o momento de homenagear a diretoria que luta para manter vivo o futebol profissional na cidade e tenta atualmente viabilizar a construção de um novo estádio, quitar dívidas trabalhistas e renovar a cada ano o plantel dos seus atletas com a meta de tornar o clube da cidade cada vez mais competitivo e capaz de façanhas cada vez maiores no esporte preferido não só do ijuiense, mas de todos os brasileiros.

Perondi conhece as reivindicações dos produtores do interior

 
O vereador Daniel Perondi (PMDB) participou ontem à noite de uma importante reunião com  moradores do Rincão dos Fabrin e Barreiro na casa do produtor Domingo Dallabrida. O grupo formado por 20 pequenos produtores fazem parte da Associação de Agricultores Rincão da Alvorada. Eles lutam para viabilizar através de uma emenda parlamentar a compra de maquinários agrícolas. "Precisamos de apoio para dar impulso às nossas propriedades e melhorar a nossa renda. Nossa meta e criar uma agroindústria", explicou Nedi Ceratti. "Até hoje nunca conseguimos a cedência de máquinas no regime de patrulha agrícola da Prefeitura", lamenta.
Na reunião, a polêmica aprovação do novo código florestal foi um dos assuntos abordados. O vereador explicou alguns pontos da nova legislação e reforçou a necessidade de mobilização para garantir que a lei mude garantindo que não se puna os pequenos produtores. "O grande dá discurso, mas ele não é afetado por que drenou as sangas. Isso foi feito com financiamento do Banco do Brasil em 1998 em Ijuí", relembra o produtor João Carlos Ceratti. "Nossa classe está desorganizada. No passado fizemos grandes mobilizações. Hoje em dia, poucos agricultores protestam", acrescentou. A exigência do BB a partir de junho de averbação para concessão de financiamento do Pronaf foi lembrada. "Eles vão pegar os pequenos no Pronaf. Agora a chuva ajudou, mas certamente nós não resistimos se vier dois anos de quebras na safra", argumentou Geoni Bressan. 
O grupo aproveitou a presença do vereador para denunciar a falta de apoio do Executivo. O maior problema continua sendo as estradas em péssimas condições. "Nosso filho precisa caminhar 2 quilômetros todas as manhãs até um entroncamento para pegar o ônibus. Isso as 5h da manhã", denunciou a mãe do Gabriel, Eliana Dolovitsch. "O ônibus não consegue chegar até a nossa casa, pois a estrada é muito estreita", explica. 
Daniel ouviu as reivindicações e se comprometeu em buscar apoio ao projeto da associação. Ele aproveitou para agradecer as orações dos moradores, que se solidarizaram a sua família, assim que souberam do acidente de moto que sofreu no ano passado. "É bom saber que posso contar com o carinho de velhos amigos", agradeceu Daniel Perondi.